Buscar
  • Dr.Paulo Valzacchi

Dê uma chance a si mesmo

Atualizado: 3 de Jun de 2018

Sei que você deve estar sofrendo nesse momento. Talvez uma perda emocional, talvez aflita por uma decisão que tenha que tomar ou tomou… Mas, preste bem atenção, esse sofrimento somente vai passar quando você der uma chance a si mesmo.

Na maioria das vezes, quando as coisas não dão certo, ou seja, quando não saem exatamente como queríamos, o que mais ocorre é a decepção, tristeza, a perda da força de viver, a angústia e a depressão. Tudo isso se instala quando, mais uma vez, você não dá uma chance a si mesmo. A chance de se permitir viver realmente, viver novas oportunidades, novos mistérios, novas conquistas, novas expectativas, num termo amplo: simplesmente viver!

Mas o que fazemos? Nós mesmos nos sabotamos, dizemos que está tudo mal, que o mundo está negro, que nossa vida não vale a pena ser vivida, que a angústia é enorme, o abismo é vasto, que não temos chance de sair desta etapa, que Deus não nos ama, que sofro porque sou desse jeito, dominador, insensível e neste exato momento você começa a levantar hipóteses infundadas de sua personalidade, levando-se mais uma vez à baixa-estima e à dor.

Pare! Respire fundo, suspire profundamente para que, de uma vez por todas, saia este péssimo astral. Veja comigo algo simples e racional. Somos mais ou menos 6 bilhões de pessoas no mundo e estamos crescendo. Você é uma pessoa que, para muitas outras, é especial. Existem, nesta vastidão de seres, pessoas com as quais você vai se relacionar, não importa se profissionalmente ou emocionalmente, mas pessoas irão entrar e sair de sua vida, pois afinal a própria vida é assim. Se neste momento você está se depreciando, está perdendo a chance de viver novas oportunidades, enquanto você fica neste estado de lamentação, o mundo continua girando… Não vai parar para você pegar os cacos portanto, você precisa mais do que nunca se importar com você, começar a fazer coisas boas a si mesmo, não ofertar lixo para si mesmo. Será que você merece sofrimento ou será que merece felicidade? A escolha que está fazendo agora é péssima; está negando e resistindo a determinadas situações: se entender, segue; se não entender, empaca. Será que não chegou a hora de entender e seguir adiante dando uma chance para si mesmo? Procure dar valor ao que sente, mas entenda o porquê de você estar se sentindo assim.

Num de meus atendimentos, uma jovem havia se separado de um namoro que perdurara 3 anos. Estava arrasada, assim como eu ou você ficaríamos, mas já havia muitos meses que ela estava desse jeito. Um período de luto é normal; prolongar-se esse período já é grave. Eu perguntei o que ela sentia, e ela respondeu que sentia muita falta do outro. Mas falta do quê? Ela pensou, pensou, pensou e, cabisbaixa, não respondeu; eu, então, disse: falta das brigas, dos desentendimentos, das discussões ou falta de ser admirada, notada, de ser uma pessoa especial?

Naquele instante ela percebeu que não era admirada, nem era notada como uma pessoa especial para ele; o namorado mal a compreendia, nem a tratava com respeito e ternura. Então, fiz nova pergunta: o que você quer para si mesma: felicidade ou sofrimento? Ela afirmou que queria felicidade mas, na verdade, esse encontro com a felicidade estava muito longe de acontecer; ela não queria dar uma chance a si mesma; estava cada vez mais se fechando, se sabotando, desprezando novas oportunidades, se enclausurando e morrendo lentamente.

Eu estava quase sem ferramentas para ressuscitá-la dos mortos, quando algo interessante ocorreu: uma de suas irmãs mais chegadas faleceu repentinamente de infarto. Isso lhe proporcionou uma dor insuportável mas, por outro lado, fez com que ela refletisse muito sobre a oportunidade de novamente viver e o tempo que ela havia perdido em sua vida; assim, uma das mudanças mais radicais ocorreu, como diz o ditado popular: uma mudança da água para o vinho. Talvez por ter percebido de uma maneira mais drástica que a vida é impermanente e que devemos viver o presente de uma maneira mais consciente e positiva, tenha causado um poderoso impacto nela. Não sei ao certo o quanto ela sofreu, mas sei que todo aquele acontecimento fez com que ela despertasse. Finalmente ela usou todas as ferramentas que eu tinha lhe oferecido, todas. Depois de um período ela estava mais fortalecida, viva e muito, mas muito mais madura.

Será que precisamos de lições tão duras para acordar e realmente viver? Não, não precisamos; o que necessitamos é apenas dar uma chance a nós mesmos de crescermos e vivermos de acordo com o que nós queremos. Por isso se você está aí, sem perspectivas, acorde, levante, planeje, crie, viva; esta fase certamente tem um significado. Você saberá ao certo qual, mas depois de entendê-lo faça de tudo para seguir adiante. Dê uma chance a si mesmo.

Fazemos votos de êxito em sua jornada!


#valzacchi

#emocional

223 visualizações

©  2018 Dr.Paulo Valzacchi - Mente Plena Espaço Terapêutico - Instituto Poder da Mente

São Caetano do Sul - São Paulo 09510-210

Tel: 11-9.9812-1918

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Google+ Icon