Muitas pessoas me perguntam: Dr.Paulo como fazer a melhor escolha?

Bem a primeira coisa que posso te dizer é tomar as rédeas da escolha, colocar nela a sua responsabilidade, pois em geral  muitos entregam a responsabilidade para outros, como se o outro soubesse sobre sua vida, suas dificuldades ou a melhor direção a seguir, nada disso, só quem sabe é você , e olhe lá, as vezes ficamos tão perdidos, que nem nós sabemos ao certo, para isso se faz necessário respirar, acalmar a mente e buscar alguns processos mais lógicos para se chegar ao melhor caminho.

Eu vou te dizer três pérolas, que nunca me ensinaram, mas que eu aprendi com as mais complexas experiências da própria vida.

Primeiro, todas as respostas para nossas mais complexas perguntas estão dentro de nós, tudo esta aí, acredite, não se engane não, você já sabe, sabe muito bem o que tem de ser feito e o que não tem de ser feito, mas é claro que as vezes você esta apenas esperando, esperando por outros caminhos, ou mesmo que outras pessoas escolham o seu caminho, como diz o ditado popular, colocando o corpo fora.
Não faça isso, tome as rédeas, tenha coragem, força e fé.

Não se engane, você tem muita sabedoria, e ela esta dentro de você, então pare de procurar desculpas e faça o que tem de ser feito.

O segundo ponto é uma chave de ouro, vou te entregar , ela funciona em toda e qualquer situação, antes saiba de algo fundamental, uma escolha envolve centenas de pessoas, não pense que você decide algo e simplesmente acabou, nada disso, sua escolha gera uma rede nova de acontecimentos, direções e interações, o fluxo é esse, pois todos estamos conectados, todos vamos sentir, mudar,  reagir, então pense nessa pérola, se você quer escolher entre uma situação a ou b , escolha a que dê menos dor de cabeça no futuro, a que não vai causar um tremendo arrependimento lá na frente.

Tem muitas escolhas que vai te dar um prazer imediato, ótimo, mas isso passa, é a regra da sabedoria.

Veja o que fica. Lembre-se sempre disso.

Se você ver dor de cabeça a longo prazo, caia fora, essa é uma armadilha. Sempre!

Dor de cabeça, sofrimento, não condiz com boas escolhas.

O terceiro ponto, é , seja o que você escolher, algo você deixou para trás, uma outra escolha, e pelo amor de Deus, deixe ela lá trás mesmo, levante a cabeça e siga em frente.

As vezes escolhas boas exigem sacrifícios momentâneos, essa é minha dica.

Lembre-se : Sacrifícios momentâneos.

Quando chegar bem lá na frente você vai entender o que eu digo, é preciso de um tempo para que os valores reais perdurem, se mostrem, e brilhem.

Você está confuso ainda?

Respira, coloque no papel, isso mesmo, no papel, os prós e contras, deixe um pouco as emoções de lado, elas estão contaminadas, tente ser um pouco mais racional.

As vezes a razão dói pois ela acaba chacoalhando a ilusão, mas é isso mesmo.

Pense com muito carinho sobre isso.

E não se esqueça, escute o sussurro da intuição, é ela que te leva para as boas decisões.

A intuição não grita, quem grita é a mente, e a mente aliada ao desequilíbrio emocional não é uma boa bússola.

Caso sua escolha seja difícil, note que não há muitas escolhas fáceis na vida, e que com o tempo nós amadurecemos a tal ponto que não teremos tantas ilusões e assim as escolhas serão mais simples.

Apenas pare, respire e siga as dicas, não há como errar, só se você quiser aquela boa dose de dor de cabeça por um longo periodo em troca de algo tão momentâneo.

E em geral escolhas assim são feitas porque estamos com carência afetiva e baixa auto-estima.

Nem sempre é uma questão apenas de certo ou errado, as vezes envolve algo mais.

Pense bem.

Eu desejo , sucesso, em suas escolhas.

 



CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário